EXPOSIÇÃO DE FINAL DE ANO DO BACHARELADO EM DESIGN GRÁFICO E ILUSTRAÇÃO 

LINE AS INTERACTION
julia v. gontier 

www.juliavgontier.com


[pt]   O processo criativo funciona diferentemente para cada pessoa, mas com um ponto de partida comum: a “página” em branco, um espaço de possibilidade, uma área de criação. Estes experimentos visuais investigam o ato de ocupar e criar através do vazio, destacando sua presença e gerando composições e formas com ele, tensionando o espaço negativo e positivo e como ele é um componente chave para qualquer criação visual. A tela em branco é um espaço assustador e ao mesmo tempo libertador. Explorar e ocupá-lo depende de uma série de escolhas, é um encontro de cor, forma, composição e muitas outras partes, incluindo espectador e obra. Em qualquer campo criativo, encontramos um tipo de espaço vazio: a tela em branco, o pôster, a página e assim em diante. Tais elementos possuem restrições comuns e fazem parte de muitos desenvolvimentos criativos. Dessa forma, podemos fazer referência a eles através da noção e ideia de superfície. Muitos experimentos foram realizados em diversos tipos de superfícies (como detalhado no ensaio de tereza rullerova “ação para superfície”). Quando pensamos nisso, podemos ver que a maioria de nossas criações e experiências de alguma forma estão ligadas a este conceito. Em design gráfico quando criamos, tratamos de um desenvolvimento visual de uma “superfície” - que também pode ser considerada um espaço - que exige a exploração de conexões entre forma, camada, composição, tipografia, cor, grid, imagens, etc. No entanto, na maioria das vezes, enfrentamos estes elementos dentro do reino digital. Especialmente no início, estes existem como superfície não ocupando nosso mundo físico, em outras palavras, tridimensional. Com tudo isso em mente, o objetivo deste projeto é quebrar as limitações planas de uma superfície- que geralmente é o que nosso trabalho foca - com a pretenção de mostrar as possibilidades e complexidades de uma criação de design gráfico, investigando os conceitos de camadas, cores, materiais e composição, junto com a participação do espectador, onde ele é convidado a assumir um papel ativo ao interagir com as peças, jogando e explorando as possibilidades de composição, juxtaposição, forma e espaço.


[en]
The creative process works differently for each person but with a common starting point: the blank “page”, a space of possibility, an area of creation. These visual experiments investigate the act of occupying and creating through emptiness, highlighting its presence and generating compositions and shapes with it, tensioning the negative and positive space and how it is a key component to any visual creation. The white canvas is a scary yet liberating space. Exploring and occupying it depends on a series of choices, it is an encounter of color, form, composition and many other parts, including spectator and outcome. In any creative field, we encounter a type of empty space: the white canvas, the poster, the page, and so on. Such elements possess common restraints and are a part of many creative developments. In this way, we can refer to them through the notion and idea of surface. Nowadays we experience many kinds of surfaces (as detailed in tereza rullerova’s essay “action to surface”). When we come to think about it, we can see that most of our creations and experiences are somehow connected to this concept. In graphic design when we create, we deal with a visual development of a “surface” – which can also be considered a space – that requires the exploration of connections between form, layer, composition, type, colour, grid, images, etc. However, most times, we tackle these elements within the digital realm. Especially in the beginning, they exist as a surface that does not occupy our physical, in other words, three-dimensional world. With all this in mind, the aim of this project is to break with the flat limitations of a common surface – which usually is what our work focuses on – intending to showcase the possibilities and complexities of a graphic design creation by bringing to life the concepts of layers, colours, material and composition, together with the participation of the viewer, where he is invited to take an active role by interacting with the pieces, playing and exploring the possibilities of composition, juxtaposition, form and space.









︎

British BA Programs in Graphic Design & Illustration. EBAC. Sao Paulo
A partner of The University of Hertfordshire. London. UK
site design and development: Laíssa Moreira